fbpx

12 formas de manter sua empresa familiar fortalecida durante a crise

As paralisações decorridas do Coronavírus colocaram as empresas diante de um momento extremamente desafiador. Foram vários os setores que tiveram suas atividades suspensas ou, ao menos, reduzidas, tornando a manutenção das empresas um desafio muito grande.

Tendo em vista que as empresas familiares foram altamente afetadas pela Coronacrise, resolvemos trazer algumas medidas e caminhos que empresas que estão obtendo sucesso durante esse momento tão delicado estão tomando, as quais certamente poderão ajudar o seu negócio familiar.

Comunicação

Nunca a comunicação foi tão importante como agora nesses tempos em que os desafios emergiram, se tornaram cada vez mais constantes e trouxeram situações que até então não eram vistas com tanto cuidado.

Para poder superar esses desafios com mais assertividade, uma comunicação eficaz com todos os membros da família e da empresa torna-se uma ferramenta essencial.

Diariamente a empresa enfrentará adversidades que precisam ser debatidas entre os tomadores de decisão para que se consiga agir assertivamente. Por isso, estar em estreito contato, mesmo que remotamente, com todos os membros da empresa precisa ser uma prioridade. O repasse de informações e o feedback deve ser constante.

Além disso, é necessário a família buscar formas de estar cada vez mais unida, dando suporte uns aos outros para que o negócio sobreviva e até encontre oportunidades de crescimento durante esse momento. A boa comunicação da família e dos demais membros da empresa é pilar fundamental nesse processo.

Clareza de Papéis

Momentos de crise costumam ligar o modo sobrevivência no ser humano. Nosso sistema mais primitivo é acionado, fazendo com que nossas ações saiam um pouco da racionalidade, indo mais para o lado instintivo. Isto pode ser bom por um lado, pois nos faz garantir formas de nos mantermos vivos, mas pode também ser péssimo quando certas decisões e ações importantes são necessárias.

A empresa necessita neste momento que as pessoas que nela trabalham tenham clareza dos seus papéis para que não haja intromissão, confusão, duplicidade ou qualquer outro tipo de conflito nas ações que precisam ser tomadas. É necessário separar os papéis na família e na gestão, de quem toma decisão pelo que, quem faz o que, para que a empresa consiga manter o seu norte e que as pessoas estejam seguras da sua parte nessa empreitada.

É preciso saber qual é o seu lugar dentro desse sistema complexo que é a empresa familiar para que ela consiga transcender esse momento desafiador.

Código de Honra

Durante a adversidade, quando os nervos ficam à flor da pele e quando fica mais difícil saber o que fazer, é que se demonstra fundamental que se haja regras claras de como o jogo deve ser jogado, de como manter uma cultura estabelecida, de como garantir que as pessoas permaneçam unidas.

Algumas empresas chamam de Carta de Princípios, outras têm suas Regras de Conduta e outras costumam chamar de Código de Ética. Eu gosto do termo CÓDIGO DE HONRA.

Este termo vem de exércitos antigos que viam a necessidade de criar diretrizes claras para garantir que seus membros soubessem agir de forma adequada para mantê-los vivos, fortes, unidos e em busca de um objetivo em comum.

Este conceito pode ser aplicado às empresas familiares com o objetivo de manter a sua cultura, colocando as pessoas certas nos lugares certos, fazendo as coisas certas para atingirem um propósito em comum.

Se a sua empresa ainda não possui um Código de Honra estabelecido, reúna seus líderes e escrevam juntos de 10 a 15 frases que são fundamentais para manter a união, a perpetuidade e a prosperidade do negócio.

Muito cuidado e carinho

Diferentemente de uma empresa de gestão não familiar, a empresa familiar tem a peculiaridade desse elemento tão especial que é justamente a família. Em função disso, fica praticamente impossível adotar-se uma postura mais fria, lógica e racional na execução das atividades do negócio.

É necessário muito cuidado e carinho com todas as pessoas envolvidas, senão tudo pode se complicar. Numa empresa familiar é bastante natural o envolvimento das emoções na condução dos negócios. Portanto, o mais adequado não é deixar as emoções de lado, mas sim aprender a lidar com elas da melhor forma possível, pois elas estão presentes a todo momento nas interações entre pais, filhos, avós, netos, parentes e demais membros da empresa.

Essa interação entre a família e o negócio que é a mágica da empresa familiar. Por isso, cuidado e carinho são essenciais em momentos de tensão.

Governança Familiar

Um dos maiores problemas que ameaçam as empresas familiares é o conflito entre os seus membros. Inúmeros são os motivos que podem gerar um conflito, mas certamente um momento de crise tem um poder avassalador de potencializar ainda mais essa possibilidade.

As soluções para esses conflitos também são inúmeras, mas aprimorar o modelo de gestão tem, sem dúvidas, um grande potencial de mitigar as ocorrências de conflitos.

Profissionalizar a gestão não significa necessariamente contratar algum profissional de fora para fazer a gestão da empresa. Definitivamente, não. Apesar de essa ser uma possibilidade. Mas nos referimos a criar condições para que os membros que estão na gestão adquiram habilidades, competências e recursos para fazê-la de uma forma mais profissionalizada, adotando medidas reconhecidamente adequadas para esse tipo de negócio.

Por exemplo, a criação de um Conselho de Família com diferentes gerações, realizando reuniões com dia e horário marcados, ata para registrar as decisões, separar assuntos pessoais e de negócio são medidas que estão à mão de qualquer empresário que queira organizar a sua empresa familiar.

Durante a crise do Coronavírus, empresas que já tinham seus conselhos criados, também criaram um comitê de emergência para discutir questões patrimoniais e pessoais para encontrar caminhos e agir o mais rápido possível.

Em muitas empresas familiares, a figura do fundador ainda está presente e em muitas delas ele já é idoso e necessita permanecer isolado para resguardar-se da pandemia. Diante disso, elas têm adotado a postura de levar equipamentos até eles que possibilitem chamadas por videoconferência pelo menos uma vez por semana ou a cada quinze dias.

A presença de pessoas de gerações diferentes na empresa familiar é algo que merece todo o cuidado, já que é necessário conciliar as vontades dos mais novos com as tradições dos mais antigos.

Reportar com transparência os relatórios da gestão pode eliminar o pânico que pode estar assolando quem está em isolamento.

Um dos grandes objetivos da Governança Corporativa é trazer clareza e separar os elementos gestão, propriedade e família, o que pode ser um desafio para os membros da empresa familiar, motivo pelo qual se recomenda utilizar-se de um mediador para juntar as partes através de um Conselho Consultivo, com profissionais capazes de trazer ferramentas de recursos humanos, finanças, estratégia e até mesmo da própria área de atuação da empresa.

São inúmeros os casos em que se não fosse o conselho, a empresa poderia estar acabada.

Gestão, inovação e tecnologia

Dizer que estamos vivendo novos tempos já não é mais novidade. Conscientizar-se de que nada voltará à “normalidade” de antes também já é algo que está sendo internalizado pelas empresas familiares de maior sucesso. Elas já compreendem que ficar gastando energia brigando para que tudo volte a ser como era antes é perda de tempo. Elas entendem que o tempo e a energia que gastariam fazendo isso deve ser utilizado para centrar esforços em adaptar-se às novas realidades, a criar, a renovar, a integrar a tecnologia, a utilizar as ferramentas que têm para transformarem-se em empresas que se sustentam ao longo dos anos.

Cuidar das finanças

Estamos vivendo um momento de muitas incertezas, por isso é preciso fazer muita conta e proteger o caixa para uma retomada ali na frente. É necessário se perguntar sempre: o que vem ali adiante? Qual o próximo passo?

Aqui, mais uma vez, a comunicação se faz necessária, pois é preciso muita conversa, escutar as pessoas certas e ler pesquisas boas ao invés de se apavorar.

Além disso, fazer auditorias de mercado e caçar coisas diferentes em termos de vendas, de produtos e de comportamento dos clientes para poder se adaptar.

Utilizar home office

Cada vez mais o trabalho à distância estará presente nas empresas deste futuro que já está aí. Só que com essa inovação, novas situações podem surgir, de forma que a empresa precisa criar novos padrões e protocolos para assegurar que tudo saia alinhado. A desburocratização é imperativa neste momento, mas relaxar em termos de produtividade pode comprometer o negócio.

O home office é mais uma vantagem que as empresas familiares têm em relação às não familiares. Há quem diga até que o século 21 pertence às empresas familiares, já que elas são mais ágeis, de modo que a tomada de decisão é desburocratizada e não depende de um conselho rígido para que algo seja implementado.

Resiliência Organizacional

Sabemos que estamos vivenciando um momento de extrema vulnerabilidade, onde manter empregos e conseguir sobreviver é algo bastante desafiador.

Por isso, criar habilidades para navegar em mares turbulentos, adquirindo capacidade de tomada de decisão rápida, de adaptação e de flexibilidade é um dos pontos que os membros de empresas familiares devem ter em mente.

Os líderes que desenvolvem em si a sua resiliência têm maiores chances de desenvolver a resiliência da empresa, buscando formas de sobreviver, adaptar e transformar a organização para os novos tempos.

Empresas que têm um propósito muito bem definido e conseguem gerar uma grande identidade das pessoas com ele, além de valores muito fortes, conseguem valorizar a tradição e ter rapidez para conseguir inovar mesmo durante a crise.

Foco na contribuição

Grande parte das empresas têm entrado em um modo única e exclusivamente de sobrevivência em função do pânico gerado pela quantidade de informação negativa que seus líderes têm consumido. Sobreviver é preciso sim, porém, o modo emergencial deve ser temporário para buscar formas de manter a empresa viva. A empresa deve também procurar oportunidades de crescimento dentro do seu mercado ou até mesmo em novos mercados. Todavia, as empresas que têm obtido mais sucesso são aquelas que entendem que sobreviver é o mínimo que devem fazer e que buscar formas de manterem-se lucrativas deve ser uma constância, pois sem lucro nenhuma empresa sobrevive por muito tempo, porém, o foco delas vai além, sua energia está também na contribuição que podem oferecer à vida das pessoas. Elas sabem que têm um produto ou serviço que realmente agrava valor e alinham toda sua estrutura interna, os oferecendo através de um marketing que realmente conecta com aquelas pessoas que podem se beneficiar deles.

Alinhar razão e emoção

Família empresária é 150% emoção! Pode ser que seja difícil separar os papéis, mas quando empresa e família não estão alinhados em momentos de crise, podem sucumbir. Por isso, manter a união familiar é o pilar base para sustentar todos juntos neste momento de pandemia.

Uma coisa que ajuda muito é lembrar da “Razão Social” da empresa. Esse termo aqui não se refere ao nome da empresa, mas sim a sua razão de existir, de servir, de adicionar valor à vida das pessoas. Lembrar-se do motivo que levou ao movimento inicial da empresa pode ajudar a dar força em momentos difíceis.

Se não for possível exercer as atividades da empresa nesse momento de paralisação, lembrar-se que toda empresa tem um dever social de devolver à sociedade um pouco daquilo que ganhou e colocar-se à serviço da vida das pessoas é algo que certamente será lembrado no futuro.

Há luz no fim do túnel

As empresas familiares são um grande motor da nossa economia. Elas empregam mais de 60% da população brasileira. Possuem uma capacidade de reinvenção, que é característica de nós brasileiros, muito grande.

O que tem se visto é que vamos sair muito mais humanizados depois dessa pandemia. O carinho com o ser humano dentro das empresas está tomando proporções nunca antes vistas.

A união que as famílias têm tido é a estrutura necessária para fortalecer as empresas neste momento tão crítico. O respeito, a comunicação não violenta e a dignidade têm aproximado pais, irmãos, primos antes brigados.

Por isso, é preciso otimismo e fé para que a mudança aconteça.

Memórias estão sendo criadas neste exato momento. Logo ali na frente isso tudo ficará no passado, guardado no inconsciente da família empresária e guiará comportamentos futuros.

Portanto, prestar atenção à delicadeza desse momento e como ficará marcada a reputação da empresa é fundamental para que se tenha um futuro mais próspero.

Se você tem dificuldades em implantar tudo isso que foi falado aqui, busque ajuda. Procure um Mentor que lhe conduza nesse processo ao mesmo tempo tão desafiador e tão maravilhoso.

DESEJA SE DESENVOLVER OU POTENCIALIZAR O SEU NEGÓCIO AINDA MAIS?

Saiba das novidades em primeira mão, novos artigos, vídeos, estudos e treinamentos. Dê o próximo passo para construir o seu legado.

Nós respeitamos sua privacidade

Mande uma mensagem no Whatsapp!