fbpx

Afinal, o que é poder? Que tal entender um pouco mais sobre ele? 

Desmistificando o poder

Poder: Um termo ao redor do qual giram muitos mitos, medos, desejos, receios e ambições. Há quem o relacione com autoritarismo, há quem o deseje com todas as suas forças, há também quem não saiba que já o possui.

Diante de tantas dúvidas ao redor desse tema, o Gestão de Poder resolveu desmistificar e destrinchar o poder para que você possa compreendê-lo melhor, podendo assim, se desejar, tomar a decisão de assumí-lo de vez e levar a sua vida e seus negócios para o próximo nível.

Uma palavra de muitos significados

Para se ter uma ideia da quantidade de significados que a palavra PODER possui, veja o resultado de uma simples pesquisa no Dicionário do Google:

verbo

  1. transitivo direto e intransitivo

ter a faculdade ou a possibilidade de.

“podemos dizer a verdade”

  1. transitivo direto, transitivo indireto e intransitivo

possuir força física ou moral; ter influência, valimento.

“ele pode levantar muitos quilos”

  1. transitivo direto

ter autorização para.

“os menores não podem tirar carteira de motorista”

  1. transitivo direto

ser capaz de; estar em condições de.

“podiam estudar”

  1. transitivo direto

correr risco de, expor-se a.

“se o piloto não tomar cuidado naquela curva, pode morrer”

  1. transitivo direto

ter ocasião ou meio de; conseguir.

“se não trancarem a jaula, o leão pode escapar”

  1. transitivo direto

ter tranquilidade, paciência para.

“está sempre com pressa, nunca pode esperar um minutinho”

  1. transitivo direto

ter força, vontade ou energia moral para.

“não puderam esconder a vergonha que os dominou”

  1. transitivo direto

ter autoridade moral para; ter o motivo, a razão de.

“pela sua experiência e sabedoria, podia fazer aquelas afirmações”

  1. transitivo direto

ter capacidade, força ou saúde para suportar.

“não podia ver sangue sem sentir vertigens”

  1. transitivo direto

ter a oportunidade, o ensejo, a ocasião de.

“não puderam falar com ele ontem”

  1. transitivo indireto

ter domínio ou controle sobre.

“ninguém pode com esse menino rebelde”

substantivo

  1. substantivo masculino

direito ou capacidade de decidir, agir e ter voz de mando; autoridade.

  1. substantivo masculino

governo de um país, de um Estado etc.

“p. monárquico”

  • esse poder considerado a partir de suas formas e manifestações.

“p. executivo, p. judiciário, p. legislativo”

  1. substantivo masculino

possibilidade, natural ou adquirida, de fazer determinadas coisas; capacidade, faculdade.

“tinha o p. de conquistar amizades com grande facilidade”

  1. substantivo masculino

vigor, potência.

  1. substantivo masculino

supremacia em dirigir e governar as ações de outrem pela imposição da obediência; domínio, influência.

  1. substantivo masculino

domínio de fato exercido sobre uma coisa; posse.

  1. substantivo masculino

virtude ou capacidade de (algo) produzir determinado efeito; eficácia.

“o grande p. da vitamina C já está comprovado”

  1. substantivo masculino

qualidade de quem demonstra capacidade, aptidão, perícia.

“a cantora tinha o p. de silenciar a plateia”

  1. substantivo masculino

grande quantidade; abundância.

“um p. de bombas caindo sobre a cidade”

Origem

⊙ETIM lat. possum, potes, potŭi, posse, ‘poder, ser capaz de’

Semelhantes:

Aptidão, atributo, capacidade, dom, dote, faculdade, habilidade, magia, predicado, prenda, privilégio, propriedade, qualidade, queda, talento, virtude, administração, comando, condução, diretoria, gerência, gestão, governadoria, governança, governo, leme, mando, rédea, regência, regime, superintendência.

 

Ou seja, são os mais variados sentidos que a palavra possui, podendo ser tanto verbo, pressupondo uma ação, quanto substantivo.

Nos últimos anos, a palavra empoderamento acabou virando até clichê, mas se empoderar é, de fato, uma boa definição do que estamos buscando explicar.

Descomplicando…

Em primeiro lugar, precisamos delimitar os tipos de poder aos quais nos referimos aqui, para então desmistificá-los.

Aqui, trataremos a respeito dos poderes do indivíduo e do poder conferido por uma posição ou cargo, existente nas relações do âmbito empresarial, especialmente nas empresas familiares. Nosso foco, inicialmente, não é tratar sobre o poder governamental. Falaremos sobre isso em um outro momento.

Para tornar mais fácil a compreensão, chamaremos o poder do indivíduo de poder pessoale o poder existente nas empresas familiares de poder hierárquico.

Poder pessoal é algo que todos temos ou, ao menos, potencialmente temos. Todos nós somos capazes, aptos, hábeis de transformar algo desejado em realidade. Seja algo interno ou externo. Seja o poder de nos fortalecermos internamente ou o de criarmos autoridade. Portanto, poder é bom e é necessário. Com ele, conseguimos efetivamente viver a tão sonhada vida extraordinária e deixar nossa contribuição para o mundo. Ele nos permite nos fortalecermos, empoderarmos, transformarmos e potencializarmos aquilo que desejamos.

Já o poder hierárquico, é aquele existente nos sistemas nos quais estamos inseridos, seja na família, na empresa ou na sociedade. Compreender qual é o nosso posicionamento nos sistemas aos quais somos pertencentes e como funcionam as ordens desses sistemas é fundamental para assegurarmos ascensões saudáveis e duradouras.

Por isso, assumir que você é forte como indivíduo e apto a ascender profissionalmente para obter o sucesso que deseja são alguns dos requisitos para a sua jornada como líder.

Mas apenas crer, imaginar, querer, desejar ou almejar conquistar algo não adianta de nada se nenhuma ação for posta em prática. Você precisa agir assertivamente e demonstrar coragem para exercer o seu poder e assumir a posição que você merece.

Aqui não nos referimos àquele poder ruim, autoritário, de pessoas que utilizam de uma posição para obter vantagens ou impor medo sobre alguém numa condição mais frágil. Definitivamente, não. Trata-se, na verdade, de uma força interna, de um poder de fazer, de transformar, de causar impacto, de realizar!

É um poder que todos temos (ou potencialmente temos), o qual precisamos apenas despertá-lo e/ou administrá-lo.

Despertá-lo, pois algumas pessoas têm receio do poder, se sentem bloqueadas, têm medo de crescer e perder suas conexões, seus relacionamentos, têm medo do desconhecido, do fracasso, tiveram crenças negativas enraizadas durante toda sua vida que lhe impedem de performar na sua totalidade ou simplesmente se estagnam numa zona de conforto, e com o despertar desse poder interno, suas forças para superar essas limitações crescem extraordinariamente.

E administrá-lo porque quando se está em uma posição de topo, o poder pode atrair tanto coisas boas quanto ruins. As chances de tomar decisões equivocadas e cair são inúmeras! Administrar esse poder é uma necessidade se você quiser se manter em equilíbrio e crescendo.

O mesmo acontece com o poder hierárquico. Nos sistemas empresariais ou familiares existe uma ordem de chegada, uma hierarquia, que precisa ser respeitada. Uma posição de poder pode lhe trazer autoridade para fazer acontecer, para resolver problemas, apontar rumos, decidir, delegar, inovar! Lhe dá comando, estima e influência sobre os seus. Esse poder se evidencia quando alguém possui algo que outra pessoa necessita. E o interessante é que, sob a perspectiva inversa, aquele que necessita de algo que o outro possui também está em uma posição de poder, já que sem ele a relação não se estabelece. Por isso, o importante é buscar-se sempre o equilíbrio dessas relações, o equilíbrio entre o dar e o tomar.

Então, se em algum momento você se ressentiu do poder, talvez tenha chegado o momento de você tomar consciência de que ele é bom, é necessário e você também o possui. Empoderar-se disso libera uma energia tremenda para você realizar o que deseja para sua vida!

Poder é energia inata

Somos seres biopsicossociais e espirituais/energéticos, ou seja, seres formados por corpo e mente (onde estão guardadas nossas emoções e racionalidade), que necessitam se inter-relacionar com outros seres e também possuímos uma alma (ou energia, se assim ficar melhor para você). Compreender isso nos abre possibilidade para identificarmos caminhos para melhorarmos nossa vida, criando métodos capazes de nos elevar como seres humanos e obtermos resultados práticos no nosso dia a dia. É fundamental entendermos que poder é uma força, uma energia, uma característica, uma capacidade inata do ser humano. Nascemos com ele e vamos sendo bloqueados à medida que crescemos. Portanto, o que precisamos reaprender é a liberá-lo.

Os Bloqueios do Poder

Toda criança nasce uma folha em branco. Porém, à medida que vai crescendo e vai sendo influenciada pelos pais, parentes, professores, amigos, etc., uma voz negativa em sua mente vai sendo criada, tendendo sempre a lhe limitar.

A criança vai perdendo contato com sua essência, dando cada vez mais lugar à lógica, à racionalidade, e algumas crenças limitantes vão sendo instaladas. Através de todos os nãos que recebe, e alguns bloqueios vão sendo criados.

A tradição de ter que fazer tudo sempre do mesmo jeito, o ceticismo, a falta de fé, de acreditar e o conformismo são alguns exemplos desses bloqueios, que acabam causando uma grande a perda de energia.

Algumas atitudes também têm a capacidade de lhe diminuir o poder: arrogância, prepotência, julgamento, crítica, vitimismo e soberba.

Além disso, acreditar que dinheiro, carro, cargo, status, posição social são poder é o maior engano. Poder é força interna e não artifício externo. É energia interna.

Por isso, é muito importante tomar consciência e aprender formas de transcender essas situações, caso você deseje mais poder realizador, já que a criatividade, a transformação e a inovação são capacidades originadas do poder.

Os 4 pilares do Poder

Para uma melhor compreensão de como você pode descobrir, despertar, liberar, administrar, colocar em prática ou expandir o seu poder, trazemos os seus 4 pilares: emocional, hierárquico, técnico e superior:

Poder Emocional

Como visto, poder é uma força interior e não algo que se obtém com alguma coisa externa. Sendo assim, é impossível falar de poder sem falar em um mergulho interior, sem buscar compreender o funcionamento do ser humano, porque o poder pleno, em sua total potencialidade, só é exercido adequadamente quando há um equilíbrio emocional.

Inteligência emocional é a capacidade de olhar para si, conseguir perceber e administrar as próprias emoções, é olhar para o outro e perceber as suas emoções, é conseguir se adaptar ao meio em que se vive e influenciá-lo positivamente.

Porém, nem sempre isso é possível. Mas existem caminhos que podem ajudar nessa busca.

Para isso, precisamos compreender a dualidade do ser humano. Nós somos seres duais. Na verdade, quase tudo é dual: o céu e a terra, o dia e a noite, razão e emoção, o bem e o mal, tudo tem dois lados. Assim como nós. Nós também temos um lado bom e outro não tão bom assim. Tomar consciência desse fato e saber que não há nada de errado com isso é o primeiro passo para se iniciar uma busca pelo poder interior.

Isso porque na grande maioria das vezes, o poder interno está escondido por trás de um bloqueio, de uma dor, de um fracasso, por exemplo. Isso é muito comum.

Por isso que é necessário processar essas dores para liberar o poder.

E o melhor caminho para isso é através da própria vulnerabilidade.

A vulnerabilidade pode lhe levar ao sucesso. O problema é que muitas pessoas acabam confundindo se colocar em uma situação de vulnerabilidade com fracassar, com expor suas falhas, têm receio de se expor e de serem julgadas.

Porém, quando essa situação é trazida diante de um profissional capacitado para tanto e em local adequado, ela tem a função de trazer à tona o seu poder. Fazendo isso, você está sendo herói da sua própria história, além de ser muito melhor que deixar que sua fratura emocional seja exposta de maneira inadequada. Isso lhe tiraria poder.

Permitir-se à vulnerabilidade é bem diferente de se vitimizar. Você está, na verdade, reescrevendo a sua própria história.

E é no veneno que encontramos o antídoto. É nos momentos que tivemos mais raiva, mais medo ou mais tristeza, que podemos encontrar o ingrediente-chave para o nosso sucesso.

Nós temos um grande poder de transformar, de evoluir, de transcender, de amadurecer.

No livro “Aceitando Meu Chamado”, que tive o privilégio de escrever em coautoria com José Roberto Marques, Presidente do Instituto Brasileiro de Coaching, onde tive a oportunidade de escrever o capítulo “Transformação Pessoal: o poder está dentro de você”, fiz uma analogia da transformação pessoal com o processo de formação de um diamante:

O processo de transformação passa por pressão, perturbação, desordem, caos. Porém, após finalizado esse processo, o resultado que se observa é a forma de um elemento novo muito mais forte. Uma árvore quando cai, se sofrer alta pressão, pode se transformar em carvão. Mas peguemos aqui o diamante como exemplo. Essa pedra preciosa só é formada a partir de uma sucessão de eventos de extrema perturbação e pressão. O carbono que origina os diamantes fica localizado a uma profundidade de aproximadamente 150 km da crosta terrestre e está submetido a um ambiente relativamente estável, à uma temperatura que gira em torno de 1.500ºC. Porém, com a movimentação do interior da terra, uma forte energia é liberada, fazendo com que o magma localizado no interior da terra suba pelas camadas, buscando veias e fissuras até encontrar uma válvula de escape. Ele aproveita algumas falhas geológicas até chegar à superfície terrestre. Quando submetidas à toda essa pressão em alta temperatura no manto localizado abaixo da crosta, as moléculas do carbono se unem, formando os diamantes, e vêm à tona junto com o magma que está sendo expelido, passando posteriormente por um processo de resfriamento e se tornando essas lindas pedras que tanto admiramos. Esse transcurso dura algumas horas ou poucos dias, o que preserva a estrutura do diamante. Caso contrário, ele se desestabiliza e vira grafite.

         Conosco não é diferente. Nossas visões mais belas, nosso poder, nossa essência, estão guardados nas profundezas do nosso interior. Talvez estejam lá adormecidos, necessitando de agitação para virem à tona. Muitas vezes agitá-los é questão de escolha. Em algumas outras, não. Certas vezes as circunstâncias nas quais nos encontramos nos colocam sob forte pressão e para não desestabilizarmos e nos transformarmos em grafite, precisamos encontrar formas de nos colocarmos nas condições adequadas para nos transformarmos em diamantes.

         O diamante é forte, resistente e possui alto valor agregado. Já o grafite, apesar de ser um mineral com diversas utilidades, não possui tanto valor quanto o diamante.

         Se nos enfraquecermos internamente, não nos conhecermos e não estivermos com nossas atitudes alinhadas ao nosso propósito, a pressão externa vem como uma avalanche e nos detona.

         Mas não é só a pressão externa que tem a capacidade de nos derrubar. A pressão que aplicamos sobre nós mesmos é a que possui maior capacidade destrutiva. Se não nos policiarmos e aprendermos o funcionamento da nossa mente para então podermos administrar pensamentos negativos, ela pode nos devastar.

         Ao invés disso, quando nos permitimos ir fundo no nosso eu, a mergulhar no nosso interior em busca de respostas para nossas insatisfações, fazemos contato com o que há de mais belo, com nossa essência, com nossa identidade, com nosso propósito, com tudo aquilo de mais importante que possuímos. Com isso, temos a possibilidade de construir a fundação que dá sustentação à toda nossa existência, nossos comportamentos, nossas escolhas, nossa visão de mundo. Isso faz com que nos tornemos fortes, capazes de aguentar qualquer perturbação, seja ela externa ou interna, já que temos a certeza de que somos belos diamantes, resistentes, e que possuímos valores que merecem ser respeitados. Esse mergulho interior também nos possibilita encontrar os caminhos mais adequados para eliminarmos, assim como o magma que brota das profundezas da terra, tudo aquilo que não nos pertence, que só nos aprisiona e nos impede de sermos quem realmente somos. Decifrar os códigos da nossa vida e libertar o poder interiorque há em nós faz com que consigamos construir o que entendemos ser uma vida extraordinária.”

Porém, o medo da vulnerabilidade e de ressignificar pontos dolorosos não é o único medo nas pessoas. Muitas também têm medo do próprio crescimento e isso é mais comum que se pode imaginar.

Uma das maiores necessidades do ser humano é a de se relacionar. Somos seres sociais. E um dos seus maiores medos é justamente o de perder as suas relações. Infelizmente existe uma triste realidade: as pessoas que não acompanham seu crescimento, tendem a lhe criticar e puxar para baixo. Diante disso, algumas pessoas, conscientemente ou não, preferem deixar de crescer a se afastar de quem lhe faz isso.

Como, em decorrência das nossas características, somos contagiados socialmente, ou seja, somos altamente influenciados pelas pessoas com as quais mais convivemos, para assegurar seu crescimento, é necessário unir-se a um time de confiança, que lhe dê força na sua jornada de ascensão.

Antes de finalizar, não podemos fechar os olhos, pois há também o lado obscuro do poder: Aquele que usa da sua força para influenciar negativamente outras pessoas.

Na verdade, precisamos conhecê-lo para sabermos como nos protegermos dele.

Poder Hierárquico

Quando falamos em poder hierárquico, nos referimos àquele poder conferido por uma posição ou cargo. Porém, é necessário explicar que a posição pode sim conferir algum tipo de poder, mas só consegue, de fato, exercê-lo aquele que o faz por merecer.

Por isso que status não é poder. Ele é, na verdade, uma falsa sensação de poder.

Autoritarismo também não é poder. Autoridade é. Há uma grande diferença entre ambos. O primeiro é imposto à força e a segunda é por atribuição, por merecimento.

Portanto, aqui também podemos observar um outro lado obscuro do poder, que é aquele “jogo” de intrigas ao redor dele, que tende a enfraquecer o sistema como um todo.

O termo “sistema” é utilizado para identificar que uma empresa é um organismo formado por partes que, somadas entre si, compõem um sistema maior.

Esse sistema é formado por pessoas, que devem observar algumas Leisinvisíveis que o regem, as quais podem dar ou retirar força da empresa: ordem, pertencimento e equilíbrio.

A primeira Lei é a da Ordem, ou seja, em todo sistema existe uma Hierarquia, uma ordem, que precisa ser respeitada. Imagine uma empresa em que o diretor está acima do dono. Algo está errado e a tendência é que o caos se instale. Essa Lei nos ensina que o fundador de uma empresa precisa ter sua história honrada e respeitada. Uma empresa que perde a essência do fundador está fadada ao fracasso. Na verdade, uma empresa é a alma de uma pessoa, que se transformou num sistema maior e que, sob qualquer variável, a essência do fundador deve ser preservada. É por isso que nas fusões se faz necessário optar por continuar com uma única empresa.

No mundo empresarial, o respeito por essa Lei reflete muito como está a Liderança da organização. O seu desrespeito também pode ser observado em tentativas de sucessão frustradas, onde não se honra e respeita a história da empresa.

A segunda Lei é a do Equilíbrio entre o Dar e o Receber. Os membros de um sistema estão a todo momento realizando trocas e todos precisam ter a sensação de que por aquilo que faz, que compartilha, há um retorno proporcional. O colaborador, por exemplo, dá sua força de trabalho em troca de um bom salário e boas condições de ambiente e vice-versa.

Nas organizações, essa Lei reflete muito o engajamento, ou seja, qual força o líder tem para cooperar, para conectar, para aglutinar as pessoas dentro do grupo, para fazer as pessoas agirem. Também está pautada na percepção do quanto verdadeiramente o colaborador está se doando para o seu trabalho, para a empresa, dando o seu melhor.

Já a terceira Lei, é a do Pertencimento, que refere-se a todos os elementos do sistema terem o mesmo direito de pertencer. A observância dessa Lei é de suma importância, pois caso algum elemento seja excluído, o sistema como um todo se desorganiza e passa a refletir efeitos negativos, lesões que podem reverberar de diversas formas.

Por isso, é de fundamental importância todos os membros da empresa saberem exatamente qual é o seu posicionamento no sistema, como exatamente pertencem, o quanto estão conectados, aglutinados a ele. Em termos de liderança, essa Lei reflete o quanto o líder possui a capacidade de trazer mais pessoas para o sistema do qual ele faz parte, a capacidade de ser um grande afiliador, um aglutinador.

Quando há uma quebra dessas Leis, o sistema tende a se desorganizar e os efeitos são os mais variados: conflitos internos, diminuição da produtividade, do lucro, desequilíbrios emocionais, problemas de relacionamentos, estresses, falta de engajamento, afastamento de clientes, desentendimento entre os membros, entre muitos outros sintomas.

Por outro lado, se esses três elementos (pertencimento, equilíbrio e ordem) forem plenamente compreendidos e respeitados, com certeza o sistema estará finalmente em equilíbrio, o que pode propiciar caminhos para uma consciência mais elevada de clã, que compreende que a sua empresa está a serviço de um propósito maior, possibilitando assim acriação de projetos, alto desempenho, mudança de cultura organizacional, resolução de conflitos, reestruturação da empresa, aumento de lucratividade e até mesmo processos de transição de lideranças, de sucessão, com efetividade, mas também com harmonia entre todos os membros do sistema.

Poder Técnico

É necessário muito poder para alcançar objetivos grandiosos. A busca pelo aperfeiçoamento de habilidades técnicas para atingir a alta performance deve ser constante na vida de uma pessoa e de uma empresa.

Viver e trabalhar em alta performance é adotar um estilo de vida focado no propósito e na visão extraordinária de futuro, desenvolvendo técnicas de fazer as coisas acontecerem, de pagar o preço necessário, fazendo isso sempre equilibrando todas as áreas da vida.

Habilidades como persistência, foco, disciplina, produtividade, resiliência, administração do tempo, gestão, negociação, compreensão dos perfis comportamentais, resolução de conflitos, liderança, estratégia empresarial e gestão de pessoas com foco em resultados, são algumas das habilidades que bem desenvolvidas conferem poder a quem deseja alçar grandes voos.

Um bom ponto de partida é conhecer o seu perfil comportamental e compreender os das outras pessoas. Uma empresa que não tem muito bem mapeado os perfis comportamentais dos seus colaboradores certamente não está vivenciando seu total potencial.

O poder técnico lhe dá conhecimento. E conhecimento também é poder. Ele lhe dá poder para agir e agir certo, na hora certa e na direção certa.

Ele lhe possibilita inclusive a aprender técnicas para alterar a sua própria fisiologia e gerar energia para produzir mais.

Para colocar todo o seu poder em prática, você precisa de um Código de Honra. Para você e sua família. Um código para proteger você de você mesmo, pra evitar que você tome decisões equivocadas, para que você seja disciplinado e consiga atingir a alta performance.

Um Código de Honra são regras para regular o contexto no qual você está inserido.

Um dos maiores problemas em empresas, em famílias, em relacionamentos é a quebra de regras ou simplesmente a inexistência delas. Você precisa de um Mentor que te ajude a determinar regras claras para você mesmo! Para assegurar tudo isso, seja para você, pessoalmente, ou seja para sua empresa. 

Poder Superior

Na busca pelo autoconhecimento e constante aprendizagem, são muito bonitos os momentos em que as pessoas começam a encontrar satisfação de estarem vivendo algo que realmente faz sentido para elas, que lhes motiva e gera uma sensação de estar contribuindo para o mundo de alguma forma. Isso acontece quando encontram sua missão.

Isso já é fantástico. Infelizmente não são todas as pessoas no mundo que se permitem entrar nesse movimento de descoberta. Mas essa é apenas uma parte do processo. Essa é uma decisão racional, consciente.

Ao se decidir continuar essa jornada, aprofundando um pouco mais os níveis de autoconhecimento, que muitas vezes pode até exceder a compreensão humana racional, é possível encontrar ainda mais sentido e valor para a nossa individualidade e ao nosso projeto divino no plano terrestre.

Independentemente de religião, ao ler “projeto divino”, você pode compreender como conexão com o próprio Criador, com Deus, com uma energia superior ou algo que faça mais sentido para você. Permita-se mudar o sentido das palavras para o que melhor lhe convier.

Quando você se sente capaz de se conectar e canalizar essa energia, há um despertar do seu Eu Superior.

Você também percebe que é um ser que emite vibrações, as quais são capazes de atrair e materializar, tornando realidade aquilo que se coloca força e energia. E aqui não há nada de crendice, de místico ou de misticismo. Trata-se de ciência, comprovada pela física quântica.

Esse poder de conexão é capaz de equilibrar seu corpo e seu meio, de trazer alívio de dores e força para suas realizações.

Quando se consegue silenciar a mente consciente, baixando a voz da racionalidade, é possível se ouvir uma voz interna muito sábia, que lhe guia em um propósito maior.

Um dos momentos mais belos na vida de uma pessoa é quando ela consegue conectar pontos da sua história e descobre o porquê veio a essa terra, o que está fazendo aqui e qual é o seu chamado. Trata-se de um movimento muito profundo, completamente involuntário, tamanho o seu poder.

O espírito faz com que o homem seja diferente de todas as outras criaturas e quanto maior a sua capacidade de se conectar consigo mesmo e com algo superior, maior será seu poder.

Alguém que chega a esse nível de entendimento, passa a dar um novo significado à palavra legado, já que terá uma nova visão da sua jornada e da marca que deixará no mundo.

Lembrando que ao falarmos de espiritualidade, tratamos o tema independente de qualquer religião, respeitando todas, mas apenas não adentramos nessa questão. Referimo-nos aos movimentos de alma, os quais são percebidos e sentidos por aqueles que buscam a sua maior evolução.

Gestão de Poder

Gestão de Poder é uma metodologia para você descobrir, despertar, liberar, administrar, gerir e/ou passar adiante o seu poder.

Acreditamos que você pode ir além e que a sua empresa familiar pode sim se perpetuar. Basta você gerir esse poder.

Como falamos, poder é uma característica inata do ser humano e que pode ser potencializada quando bem administrada e ainda mais quando houver uma conexão superior.

Para tanto, é necessário se livrar dos bloqueios impostos durante a vida, que tendem a diminuí-lo.

Administrar os seus poderes emocional, hierárquico, técnico e superior é o caminho para que você possa ir para o próximo nível e para que empresas familiares possam passar por processos de sucessão com assertividade, mas também mantendo os laços de amor entre os seus membros.

 

Gostou? Cadastre-se na nossa newsletter para receber mais conteúdos!

DESEJA SE DESENVOLVER OU POTENCIALIZAR O SEU NEGÓCIO AINDA MAIS?

Saiba das novidades em primeira mão, novos artigos, vídeos, estudos e treinamentos. Dê o próximo passo para construir o seu legado.

Nós respeitamos sua privacidade

Mande uma mensagem no Whatsapp!